Operação em comjunto localiza criadouro clandestino

04/13/2022

06:56:02 PM

POLÍCIA

Polícia Civil e Guarda Civil Municipal de Limeira (GCM), estoura criadouro clandestino e resgatam cerca de 133 cães da raça Lulu Pomerânia ( Spitz Alemão) em situação de maus tratos em condomínio fechado. Informações da Secretaria de Meio Ambiente e Agricultura Simone Zambuzi, recebeu várias denúncias de moradores do local alegando que um moradores do condomínio usava a residência para criação clandestina de cães causando mau-cheiro e moscas no local, em contato com a DIG comandada pelo Dr. Leonardo Burger Monteiro Luiz e com o Secretário de Segurança e Defesa Civil de Limeira Wagner Marchi.

Nesta tarde (13) uma equipe do Pelotão Ambiental, Canil da GCM e agentes da Polícia Civil estiveram no local e depararam com centenas de cachorros da raça Lulu Pomerânia ( Spitz Alemão) em situação de abandono, sem comida e muitos animais sujos de fezes, além de estarem todos aglomerados em vários cômodos da residência e em cercados de cerca de um dois metros que abrigada em média 12 cachorros cada na parte de fora da casa.

No interior da residência o odor insuportável de urina e fezes caracterizaram o maus-tratos, filhotes recém nascidos também estavam presos em compartimentos de transporte de cachorros.


No interior de uma geladeira com alimentos também foi encontrado medicamentos de uso veterinário permitido o uso somente por profissionais, alguns estavam vencidos, se comprovado que o proprietário fazia uso neste animais, poderá responder criminalmente. O Setor de Bem estar Animal do Município, ALPA (Associação Limeirense De Proteção a Animais ) também estiveram no local, o setor de Zoonoses também colheu amostra de água cheia de focos de Dengue, o que coloca em risco uma epidemia no condomínio.



O proprietário do local, juntamente com sua esposa foram detidos quando chegavam no condomínio e conduzidos a DIG e estão sendo autuados em flagrantemente pelo crime do Art 32 lei 9605 crimes ambientais, parte dos animais serão encaminhados para ONGs, que serão todos avaliados por veterinários e higienizados, ficando a disposição da justiça como fiel depositário.






Compartilhe